terça-feira, 2 de novembro de 2010

Aquele que ganha almas, sábio é!


Fala Galera Radical!

Qual o valor de uma alma para você? Seja honesto contigo mesmo:você se importa por aqueles a sua volta que estão indo para o inferno?!

Há uns meses atras, fui convidado para ministrar brevemente sobre evangelismo... e enquanto buscava a Deus, o Senhor fortemente me despertou por uma extrema importância com almas, algo que já havia sentido anteriormente, mas que em algum momento da minha caminhada havia perdido!
O resultado foi uma intensa madrugada com Deus, me arrependendo da ignorância de não me importar com almas indo para o inferno!
Que o Senhor possa também te incomodar desta forma... para refletir, ouça alguns momentos desta mensagem em audio, e lembre-se "Aquele que ganha almas, Sábio é!"








Aquele que ganha almas, sabio é! by Revolução de Identidade



Um forte abraço!
Fábio B.Assis

domingo, 17 de outubro de 2010

Nós não sacrificamos nada por Ele!

Fala Galera Radical, tudo na Paz?!

Como continuamos naquela correria de sempre, vai ai outra breve reflexão!
Nós não sacrificamos nada por Cristo! Isto mesmo.. você pode até discordar e tentar argumentar que você abre mão do seu final de semana por Ele, ou que você resiste a tentações carnais ou sexuais por Ele, ou ainda que você poderia fazer inúmeras coisas, mas não faz por Ele!

Mas te digo: isto não é sacrifício, mas sim, a Graça Imensurável de um Deus Santo e Soberano que nos capacita a resistir inúmeras lutas por Ele!
Não entendeu direito?Assista o vídeo abaixo...


Este é o testemunho do jovem Cameron dado na igreja em 2008 (Grace Comunity Church em San Antonio Texas).
Que Deus traga essa mentalidade a jovens nesta nação, que Pastores, Líderes, evangelistas tenham essa convicção em suas pregações!

Um forte abraço,
Fábio B.Assis.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Uma Nova Reforma protestante, ou mais movimentos?


Fonte: Matéria da Revista Época

Não sou muito de "pegar" matérias de outros e postar aqui no nosso Blog Radicais em Santidade, mas esta matéria é muito interessante, e de certa forma, reflete algo que enfatizamos constantemente: precisamos de um Nova Reforma Protestante!
Abaixo, segue a matéria na íntegra, editada e elaborada pela revista secular Época. Posterio a matéria, postei o comentário de Leonardo Gonçalves (Blog Púlpito Cristão), que filtra alguns pontos relevantes da matéria. Vale a pena conferir!
Boa leitura!

==========================================

Rani Rosique não é apóstolo, bispo, presbítero nem pastor. É apenas um cirurgião geral de 49 anos em Ariquemes, cidade de 80 mil habitantes do interior de Rondônia. No alpendre da casa de uma amiga professora, ele se prepara para falar. Cercado por conhecidos, vizinhos e parentes da anfitriã, por 15 minutos Rosique conversa sobre o salmo primeiro (“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios”). Depois, o grupo de umas 15 pessoas ora pela última vez – como já havia orado e cantado por cerca de meia hora antes – e então parte para o tradicional chá com bolachas, regado a conversa animada e íntima.
Desde que se converteu ao cristianismo evangélico, durante uma aula de inglês em Goiânia em 1969, Rosique pratica sua fé assim, em pequenos grupos de oração, comunhão e estudo da Bíblia. Com o passar do tempo, esses grupos cresceram e se multiplicaram. Hoje, são 262 espalhados por Ariquemes, reunindo cerca de 2.500 pessoas, organizadas por 11 “supervisores”, Rosique entre eles. São professores, médicos, enfermeiros, pecuaristas, nutricionistas, com uma única característica comum: são crentes mais experientes.
Apesar de jamais ter participado de uma igreja nos moldes tradicionais, Rosique é hoje uma referência entre líderes religiosos de todo o Brasil, mesmo os mais tradicionais. Recebe convites para falar sobre sua visão descomplicada de comunidade cristã, vindos de igrejas que há 20 anos não lhe responderiam um telefonema. Ele pode ser visto como um “símbolo” do período de transição que a igreja evangélica brasileira atravessa. Um tempo em que ritos, doutrinas, tradições, dogmas, jargões e hierarquias estão sob profundo processo de revisão, apontando para uma relação com o Divino muito diferente daquela divulgada nos horários pagos da TV.


Estima-se que haja cerca de 46 milhões de evangélicos no Brasil. Seu crescimento foi seis vezes maior do que a população total desde 1960, quando havia menos de 3 milhões de fiéis espalhados principalmente entre as igrejas conhecidas como históricas (batistas, luteranos, presbiterianos e metodistas). Na década de 1960, a hegemonia passou para as mãos dos pentecostais, que davam ênfase em curas e milagres nos cultos de igrejas como Assembleia de Deus, Congregação Cristã no Brasil e O Brasil Para Cristo. A grande explosão numérica evangélica deu-se na década de 1980, com o surgimento das denominações neopentecostais, como a Igreja Universal do Reino de Deus e a Renascer. Elas tiraram do pentecostalismo a rigidez de costumes e a ele adicionaram a “teologia da prosperidade”. Há quem aposte que até 2020 metade dos brasileiros professará à fé evangélica.
Dentro do próprio meio, levantam-se vozes críticas a esse crescimento. Segundo elas, esse modelo de igreja, que prospera em meio a acusações de evasão de divisas, tráfico de armas e formação de quadrilha, tem sido mais influenciado pela sociedade de consumo que pelos ensinamentos da Bíblia. “O movimento evangélico está visceralmente em colapso”, afirma o pastor Ricardo Gondim, da igreja Betesda, autor de livros como Eu creio, mas tenho dúvidas: a graça de Deus e nossas frágeis certezas (Editora Ultimato). “Estamos vivendo um momento de mudança de paradigmas. Ainda não temos as respostas, mas as inquietações estão postas, talvez para ser respondidas somente no futuro.”
Nos Estados Unidos, a reinvenção da igreja evangélica está em curso há tempos. A igreja Willow Creek de Chicago trabalhava sob o mote de ser “uma igreja para quem não gosta de igreja” desde o início dos anos 1970. Em São Paulo, 20 anos depois, o pastor Ed René Kivitz adotou o lema para sua Igreja Batista, no bairro da Água Branca – e a ele adicionou o complemento “e uma igreja para pessoas de quem a igreja não costuma gostar”. Kivitz é atualmente um dos mais discutidos pensadores do movimento protestante no Brasil e um dos principais críticos da“religiosidade institucionalizada”. Durante seu pronunciamento num evento para líderes religiosos no final de 2009, Kivitz afirmou: “Esta igreja que está na mídia está morrendo pela boca, então que morra. Meu compromisso é com a multidão agonizante, e não com esta igreja evangélica brasileira.”
Essa espécie de “nova reforma protestante” não é um movimento coordenado ou orquestrado por alguma liderança central. Ela é resultado de manifestações espontâneas, que mantêm a diversidade entre as várias diferenças teológicas, culturais e denominacionais de seus ideólogos. Mas alguns pontos são comuns. O maior deles é a busca pelo papel reservado à religião cristã no mundo atual. Um desafio não muito diferente do que se impõe a bancos, escolas, sistemas políticos e todas as instituições que vieram da modernidade com a credibilidade arranhada. “As instituições estão todas sub judice”, diz o teólogo Ricardo Quadros Gouveia, professor da Universidade Mackenzie de São Paulo e pastor da Igreja Presbiteriana do Bairro do Limão. “Ninguém tem dúvida de que espiritualidade é uma coisa boa ou que educação é uma coisa boa, mas as instituições que as representam estão sob suspeita.”
Uma das saídas propostas por esses pensadores é despir tanto quanto possível os ensinamentos cristãos de todo aparato institucional. Segundo eles, a igreja protestante (ao menos sua face mais espalhafatosa e conhecida) chegou ao novo milênio tão encharcada de dogmas, tradicionalismos, corrupção e misticismo quanto a Igreja Católica que Martinho Lutero tentou reformar no século XVI. “Acabamos nos perdendo no linguajar ‘evangeliquês’, no moralismo, no formalismo, e deixamos de oferecer respostas para nossa sociedade”, afirma o pastor Miguel Uchôa, da Paróquia Anglicana Espírito Santo, em Jaboatão dos Guararapes, Grande Recife. “É difícil para qualquer pessoa esclarecida conviver com tanto formalismo e tão pouco conteúdo.”


Uchôa lidera a maior comunidade anglicana da América Latina. Seu trabalho é reconhecido por toda a cúpula da denominação como um dos mais dinâmicos do país. Ele é um dos grandes entusiastas do movimento inglês Fresh Expressions, cujo mote é “uma igreja mutante para um mundo mutante”. Seu trabalho é orientar grupos cristãos que se reúnem em cafés, museus, praias ou pistas de skate. De maneira genérica, esses grupos são chamados de “igreja emergente” desde o final da década de 1990. “O importante não é a forma”, afirma Uchôa. “É buscar a essência da espiritualidade cristã, que acabou diluída ao longo dos anos, porque as formas e hierarquias passaram a ser usadas para manipular pessoas. É contra isso que estamos nos levantando.”
No meio dessa busca pela essência da fé cristã, muitas das práticas e discursos que eram característica dos evangélicos começaram a ser considerados dispensáveis. Às vezes, até condenáveis (leia o quadro na última pág.). Em Campinas, no interior de São Paulo, ocorre uma das experiências mais interessantes de recriação de estruturas entre as denominações históricas.
A Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera não tem um templo. Seus frequentadores se reúnem em dois salões anexos a grandes condomínios da cidade e em casas ao longo da semana. Aboliram a entrega de dízimos e as ofertas da liturgia. Os interessados em contribuir devem procurar a secretaria e fazê-lo por depósito bancário – e esperar em casa um relatório de gastos. Os sermões são chamados, apropriadamente, de “palestras” e são ministrados com recursos multimídias por um palestrante sentado em um banquinho atrás de um MacBook. A meditação bíblica dominical é comumente ilustrada por uma crônica de Luis Fernando Verissimo ou uma música de Chico Buarque de Hollanda.
“Os seminários teológicos formam ministros para um Brasil rural em que os trabalhos são de carteira assinada, as famílias são papai, mamãe, filhinhos e os pastores são pessoas respeitadas”, diz Ricardo Agreste, pastor da Comunidade e autor dos livros Igreja? Tô fora e A jornada (ambos lançados pela Editora Socep). “O risco disso é passar a vida oferecendo respostas a perguntas que ninguém mais nos faz. Há muita gente séria, claro, dizendo verdades bíblicas, mas presas a um formato ultrapassado.”
Outro ponto em comum entre esses questionadores é o rompimento declarado com a face mais visível dos protestantes brasileiros: os neopentecostais. “É lisonjeador saber que atraímos gente com formação universitária e que nos consideram ‘pensadores’”, afirma Ricardo Agreste. “O grande problema dos evangélicos brasileiros não é de inteligência, é de ética e honestidade.” Segundo ele, a velha discussão doutrinária foi substituída por outra. “Não é mais uma questão de pensar de formas diferentes a espiritualidade cristã”, diz. “Trata-se de entender que há gente usando vocabulário e elementos de prática cristã para ganhar dinheiro e manipular pessoas.”
Esse rompimento da cordialidade entre os evangélicos históricos e os neopentecostais veio a público na forma de livros e artigos. A jornalista (evangélica) Marília Camargo César publicou no final de 2008 o livro Feridos em nome de Deus (Editora Mundo Cristão), sobre fiéis decepcionados com a religião por causa de abusos de pastores. O teólogo Augustus Nicodemus Lopes, chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie, publicou O que estão fazendo com a Igreja: ascensão e queda do movimento evangélico brasileiro (Mundo Cristão), retrato desolador de uma geração cindida entre o liberalismo teológico, os truques de marketing, o culto à personalidade e o esquerdismo político. Em um recente artigo, o presidente do Centro Apologético Cristão de Pesquisas, João Flavio Martinez, definiu como “macumba para evangélico” as práticas místicas da Igreja Universal do Reino de Deus, como banho de descarrego e sabonete com extrato de arruda.
Tais críticas, até pouco tempo atrás, ficavam restritas aos bastidores teológicos e às discussões internas nas igrejas. Livros mais antigos – como Supercrentes, Evangélicos em crise, Como ser cristão sem ser religioso e O evangelho maltrapilho (todos da editora Mundo Cristão) – eram experiências isoladas, às vezes recebidos pelos fiéis como desagregadores. “Parece que a sociedade se fartou de tanto escândalo e passou a dar ouvidos a quem já levantava essas questões há tempos”, diz Mark Carpenter, diretor-geral da Mundo Cristão.
O pastor Kivitz – que publicou pela Mundo Cristão seus livros Outra espiritualidade e O livro mais mal-humorado da Bíblia – distingue essa crítica interna daquela feita pela mídia tradicional aos neopentecostais “A mídia trata os evangélicos como um fenômeno social e cultural. Para fazer uma crítica assim, basta ter um pouco de bom-senso. Essa crítica o (programa) CQC já faz, porque essa igreja é mesmo um escracho”, diz ele. “Eu faço uma crítica diferente, visceral, passional, porque eu sou evangélico. E não sou isso que está na televisão, nas páginas policiais dos jornais. A gente fica sem dormir, a gente sofre e chora esse fenômeno religioso que pretende ser rotulado de cristianismo.”
A necessidade de se distinguir dos neopentecostais também levou essas igrejas a reconsiderar uma série de práticas e até seu vocabulário. Pastores e “leigos” passam a ocupar o mesmo nível hierárquico, e não há espaço para “ungidos” em especial. Grandes e imponentes catedrais e “cultos shows” dão lugar a reuniões informais, em pequenos grupos, nas casas, onde os líderes podem ser questionados, e as relações são mais próximas. O vocabulário herdado da teologia triunfalista do Antigo Testamento (vitória, vingança, peleja, guerra, maldição) é reconsiderado. Para superar o desgaste dos termos, algumas igrejas preferem ser chamadas de “comunidades”, os cultos são anunciados como “reuniões” ou “celebrações” e até a palavra “evangélico” tem sido preterida em favor de “cristão” – o termo mais radical. Nem todo mundo concorda, evidentemente. “Eles (os neopentecostais) é que não deveriam ser chamados de evangélicos”, afirma o bispo anglicano Robinson Cavalcanti, da Diocese do Recife. “Eles é que não têm laços históricos, teológicos ou éticos com os evangélicos.”
Um dos maiores estudiosos do fenômeno evangélico no Brasil, o sociólogo Ricardo Mariano (PUC-RS), vê como natural o embate entre neopentecostais e as lideranças de igrejas históricas. Ele lembra que, desde o final da década de 1980, quando o neopentecostalismo ganhou força no Brasil, os líderes das igrejas históricas se levantaram para desqualificar o movimento. “O problema é que não há nenhum órgão que regule ou fale em nome de todos os evangélicos, então ninguém tem autoridade para dizer o que é uma legítima igreja evangélica”, afirma.
Procurado por ÉPOCA, Geraldo Tenuta, o Bispo Gê, presidente nacional da Igreja Renascer em Cristo, preferiu não entrar em discussões. “Jesus nos ensinou a não irmos contra aqueles que pregam o evangelho, a despeito de suas atitudes”, diz ele. “Desde o início, éramos acusados disto ou daquilo, primeiro porque admitíamos rock no altar, depois porque não tínhamos usos e costumes. Isso não nos preocupa. O que não é de Deus vai desaparecer, e não será por obra dos julgamentos.” A Igreja Universal do Reino de Deus – que, na terceira semana de julho, anunciou a construção de uma “réplica do Templo de Salomão” em São Paulo, com “pedras trazidas de Israel” e “maior do que a Catedral da Sé” – também foi procurada por ÉPOCA para comentar os movimentos emergentes e as críticas dirigidas à igreja. Por meio de sua assessoria, o bispo Edir Macedo enviou um e-mail com as palavras: “Sem resposta”.
O sociólogo Ricardo Mariano, autor do livro Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil (Editora Loyola), oferece uma explicação pragmática para a ruptura proposta pelo novo discurso evangélico. Ateu, ele afirma que o objetivo é a busca por uma certa elite intelectual, um público mais bem informado, universitário, mais culto que os telespectadores que enchem as igrejas populares. “Vivemos uma época em que o paciente pesquisa na internet antes de ir ao consultório e é capaz de discutir com o médico, questionar o professor”, diz. “Num ambiente assim, não tem como o pastor proibir nada. Ele joga para a consciência do fiel.”
A maior parte da movimentação crítica no meio evangélico acontece nas grandes cidades. O próprio pastor Kivitz afirma que “talvez não agisse da mesma forma se estivesse servindo alguma comunidade em um rincão do interior” e que o diálogo livre entre púlpito e auditório passa, necessariamente, por uma identificação cultural. “As pessoas não querem dogmas, elas querem honestidade”, diz ele. “As dúvidas delas são as minhas dúvidas. Minha postura é, juntos, buscarmos respostas satisfatórias a nossas inquietações.”
Por isso mesmo, Ricardo Mariano não vê comparação entre o apelo das novas igrejas protestantes e das neopentecostais. “O destino desses líderes será ‘pescar no aquário’, atraindo insatisfeitos vindos de outras igrejas, ou continuar falando para meia dúzia de pessoas”, diz ele. De acordo com o presbiteriano Ricardo Gouveia, “não há, ou não deveria haver, preocupação mercadológica” entre as igrejas históricas. “Não se trata de um produto a oferecer, que precise ocupar espaço no mercado”, diz ele. “Nossa preocupação é simplesmente anunciar o evangelho, e não tentar ‘melhorá-lo’ ou torná-lo mais interessante ou vendável.”
O advento da internet foi fundamental para pastores, seminaristas, músicos, líderes religiosos e leigos decidirem criar seus próprios sites, portais, comunidades e blogs. Um vídeo transmitido pela Igreja Universal em Portugal divulgando o Contrato da fé – um “documento”, “autenticado” pelos pastores, prometendo ao fiel a possibilidade de se “associar com Deus e ter de Deus os benefícios” – propagou-se pela rede, angariando toda sorte de comentários. Outro vídeo, em que o pregador americano Moris Cerullo, no programa do pastor Silas Malafaia, prometia uma “unção financeira dos últimos dias” em troca de quem “semear” um “compromisso” de R$ 900 também bombou na rede. Uma cópia da sentença do juiz federal Fausto De Sanctis condenando os líderes da Renascer Estevam e Sônia Hernandes por evasão de divisas circulou no final de 2009. De Sanctis afirmava que o casal “não se lastreia na preservação de valores de ética ou correção, apesar de professarem o evangelho”. “Vergonha alheia em doses quase insuportáveis” foi o comentário mais ameno entre os internautas.
Sites como Pavablog , Veshame Gospel , Irmãos.com , Púlpito Cristão , Caiofabio.net ou Cristianismo Criativo fazem circular vídeos, palestras e sermões e debatem doutrinas e notícias com alto nível de ousadia e autocrítica. De um grupo de blogueiros paulistanos, surgiu a ideia da Marcha pela ética, um protesto que ocorre há dois anos dentro da Marcha para Jesus (evento organizado pela Renascer). Vestidos de preto, jovens carregam faixas com textos bíblicos e frases como “O $how tem que parar” e “Jesus não está aqui, ele está nas favelas”.
A maior parte desses blogueiros trafega entre assuntos tão diversos como teologia, política, televisão, cinema e música popular. O trânsito entre o “secular” e o “sagrado” é uma das características mais fortes desses novos evangélicos. “A espiritualidade cristã sempre teve a missão de resgatar a pessoa e fazê-la interagir e transformar a sociedade”, diz Ricardo Agreste. “Rompemos o ostracismo da igreja histórica tradicional, entramos em diálogo com a cultura e com os ícones e pensamento dessa cultura e estamos refletindo sobre tudo isso.”

Blogueiros se reunem para marchar pela ética evangélica
(crédito: Revista Época)

Em São Paulo, o capelão Valter Ravara criou o Instituto Gênesis 1.28, uma organização que ministra cursos de conscientização ambiental em igrejas, escolas e centros comunitários. “É a proposta de Jesus, materializar o amor ao próximo no dia a dia”, afirma Ravara. “O homem sem Deus joga papel no chão? O cristão não deve jogar.” Ravara publicou em 2008 a Bíblia verde, com laminação biodegradável, papel de reflorestamento e encarte com textos sobre sustentabilidade.
A então ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, escreveu o prefácio da Bíblia verde. Sua candidatura à Presidência da República angariou simpatia de blogueiros e tuiteiros, mas não o apoio formal da Assembleia de Deus, denominação a que ela pertence. A separação entre política e religião pregada por Marina é vista como um marco da nova inserção social evangélica. O vereador paulistano e evangélico Carlos Bezerra Jr. afirma que o dever do político cristão é “expressar o Reino de Deus” dentro da política. “É o oposto do que fazem as bancadas evangélicas no Congresso, que existem para conseguir facilidades para sua denominação e sustentar impérios eclesiásticos”, diz ele.
O raciocínio antissectário se espalhou para a música. Nomes como Palavrantiga, Crombie, Tanlan, Eduardo Mano, Helvio Sodré e Lucas Souza se definem apenas como “música feita por cristãos”, não mais como “gospel”. Eles rompem os limites entre os mercados evangélico e pop. O antissectarismo torna os evangélicos mais sensíveis a ações sociais, das parcerias com ONGs até uma comunidade funcionando em plena Cracolândia, no centro de São Paulo. “No fundo, nossa proposta é a mesma dos reformadores”, diz o presbiteriano Ricardo Gouveia. “É perceber o cristianismo como algo feito para viver na vida cotidiana, no nosso trabalho, na nossa cidadania, no nosso comportamento ético, e não dentro das quatro paredes de um templo.”
A teologia chama de “cristocêntrico” o movimento empreendido por esses crentes que tentam tirar o cristianismo das mãos da estrutura da igreja – visão conhecida como “eclesiocêntrica” – e devolvê-lo para a imaterialidade das coisas do espírito. É uma versão brasileiramente mais modesta do que a Igreja Católica viveu nos tempos da Reforma Protestante. Desta vez, porém, dirigida para a própria igreja protestante. Depois de tantos desvios, vozes internas levantaram-se para propor uma nova forma de enxergar o mundo. E, como efeito, de ser enxergadas por ele. Nas palavras do pastor Kivitz: “Marx e Freud nos convenceram de que, se alguém tem fé, só pode ser um estúpido infantil que espera que um Papai do Céu possa lhe suprir as carências. Mas hoje gostaríamos de dizer que o cristianismo tem, sim, espaço para contribuir com a construção de uma alternativa para a civilização que está aí. Uma sociedade que todo mundo espera, não apenas aqueles que buscam uma experiência religiosa”.


==========================================

Comentário de Leonardo Gonçalves:

O leitor do Púlpito Cristão sabe que não endossamos, sob nenhuma hipótese, o open theism (ou teologia relacional - pintam o poço, mas a água é a mesma) que transparece nos textos do Ricardo Gondim e de Ed René Kvitz, ao mesmo tempo que nos identificamos com Paulo Romeiro, Augustus Nicodemus e Ricardo Agreste, bem como apoiamos a marcha pela ética evangélica, realizada por Paulo e Vera nos dois últimos anos. Somos conservadores em nossa teologia, embora amplamente abertos ao debate cultural e novas perspectivas missiológicas.
Definitivamente não somos um grupo de teólogos liberais querendo modificar o cristianismo; somos cristãos apaixonados que buscam viver e ensinar a essência perdida do evangelho de Cristo. No entanto, a presente matéria é extremamente importante, pois nela fez-se distinção entre a liderança corrupta, mensaleira e vergonhosa, e crentes sinceros - ainda que imperfeitos, demonstrando que nem todo mundo é farinha do mesmo saco-gospel.
Espero (e oro) para que cada vez mais pessoas possam reconhecer essas diferenças, que mais gente entenda que existem pastores honrados, comunidades sérias e crentes pensantes - não intelectualóides, mas pensantes - que estão seriamente preocupados com os rumos da igreja evangélica brasileira.

Matéria da Revista Época

Eu lí em:http://www.pulpitocristao.com/2010/08/nova-reforma-protestante.html

segunda-feira, 12 de julho de 2010

E se as grandes frases de C.S.Lewis virassem música?

Fala Galera Radical, tudo beleza?!
Comigo, continua a correria de sempre, mas logo logo o site do R.I.(Revolução de Identidade) tá por ae!
Cara, curto muito ler... adquiri nesses dias a obra completa de C.S.Lewis, As Crônicas de Narnia... comecei a ler, mas pela correria do R.I., e até mesmo do TCC da Faculdade, parei!
Mas o cara é fera... além de escrever esta obra, que ilustraindiretamente a figura de Cristo e sua Obra para com a humanidade,Lewis também escrevera outras obras que muito nos edificam, como "O Evangelho Puro e Simples", e por ai vai!
Navegando pela net, encontrei uma banda cristã que transformou citações e frases de Lewis em uma bela canção...
Curta o som, e reflita muito, pois C.S.Lewis é pura reflexão sobre a Verdade!



Um forte abraço!
Fábio B.Assis

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Corra dos falsos evangelhos de hoje!

Fala Galera Radical, tudo em Paz?!
Como estamos em uma série de breves reflexões, vai uma nova: CORRA!
Este vídeo, nos faz refletir em tudo que estamos pregando contra aqui neste blog e onde passamos... por isto, se liga, precisamos correr destes falsos evangelhos e mestres atuais que pregam contra o Autêntico Evangelho de Cristo!


Um forte abraço!
Fábio B.Assis.

terça-feira, 18 de maio de 2010

O Evangelho DEVE ser anunciado para TODOS!

Fala Galera Radical, tudo beleza?!
Incrivelmente este ano de 2010 vai ficar marcado aqui no nosso blog como o "ano da correria do Fábio", rs, digo isso porque realmente tem sido muito corrido para mim devido nossa dedicação com o trabalho Revolução de Identidade, que em breve o site já estará no ar, aguardem!
Enquanto este "em breve" não chega, vamos alimentando o blog com breves reflexões... e a reflexão de hoje é que o Evangelho deve ser anunciado à todos, pois, o texto mais conhecido da bíblia é que "Deus amou o MUNDO de tal maneira..." (João 3.16)! Foi o mundo todo, sem distinção de épocas, séculos, tribos, nações, e estilos de vida!
Se têm algo que me irrita profundamente é olhar cético e frio da igreja atual em relação alguns grupos sociais de pessoas. Chamaria estes grupos sociais de tipo de gente, por exemplo: por que não ajudamos e evangelizamos garotos de rua?
Por qual razão não vemos igrejas indo até o território de prostituas, garotos de programas e por ai vai?
Recentemente tive a experiência de acompanhar um grupo da Igreja 180 Turn Around (Pr.Jeff), em Volta Redonda, onde fomos a meia noite na porta de uma balada GLS, falar justamente com esta galera. Para mim foi um grande choque, porque pude perceber o quanto despreparado estou para o problema, e a culpa não é unicamente minha, mas de um sistema preconceituoso que impera em nossas igrejas e nos impede de amar tais pessoas como amamo outras pessoas normais aos nossos olhos!
O Amor de Cristo é incondicional. Ele quer alcançar estas vidas SIM, e para isso, conta conosco, mas precisamos aprender e tentar amar como Ele ama. Ai então veremos que não somos absolutamente nada a mais que tais pessoas, porque TODOS nós estamos separados da glória de Deus (conforme Romanos 3.23), e um dia tivemos o privilégio de nos encontrarmos com este Deus Santo por meio de Cristo. Que estas pessoas possam encontrar-se com Cristo por meio de uma Igreja amorosa!
Curta o vídeo abaixo, e entenda que missões não é apenas África, Angola, China, e por ai vai... missões é um povo da minha e da sua cidade que precisa mais do que nunca ouvir e sentir um verdadeiro amor!


Um forte abraço!
Fábio B.Assis

terça-feira, 20 de abril de 2010

Carta as Assembléias de Deus


Fala galera Radical!
Hoje, em vez de um papo Radical ou breve reflexão, estou postando uma Verdade!
Somos protestantes, conhecedores da Verdade que nos liberta. Rompemos no passado com um sistema religiosos corrupto e cego chamado Catolicismo Romano. Particularmente, eu, Fábio Bueno rompi e deixei os ensinamentos dos meus próprio pais, aos 14 anos de idade, por conhecer o Evangelho e a Verdade. E ao entrar em uma denominação evangélica, com o passar do tempo, percebia cada vez mais, que os erros grotescos do passado, se repetiam, porém, com outras roupagens e cenários!
Declaro aqui que amo os assembleianos (membros das denominações Assembléias de Deus), e louvo a Deus por muitos destes não se desviarem da verdade em meio a tais erros. Com tudo, meus 10 primeiros anos de conversão se passaram em uma Assembléia de Deus. Mas infelizmente, não pude e não posso consentir com muitos erros e falhas em comuns a que vimos no passado. Passei por experiências um tanto quanto indelicadas para com a Verdade que cremos e defendemos, experiências estas que não vêm ao caso mencionar neste blog.
Tais falhas que aqui menciono, não dizem respeito a uma denominação local, mas um sistema geral que rege as denominações. Tais falhas, não são e não foram notadas apenas por mim, mas por muitos que amam a Verdade, e infelizmente temem defende-la por uma posterior retaliação religiosa!
Com tudo, eu e meu grande irmão em Cristo, Diogo Sá não tememos tais retaliações, mas defenderemos o Evangelho a todo e qualquer custo acima de qualquer placa denominacional.
Aflito com tamanhas falhas, este meu irmão escrevera uma carta, com objetivo de alertar ao quebrantamento tais líderes que cada vez mais apresentam-se como cegos em meio a este sistema falho!
Abaixo segue esta carta. E para aqueles que me conhecem mas falam de mim errôniamente, por favor, orem, e leiam mais a Palavra buscando encorajar-se a assumir nosso nome autentico de PROTESTANTES, e de uma vez por todas, protestar contra toda casca religiosa que tem sido gerada ao longo de anos de falhas sobre falhas... a vocês proponho com súplicas no coração: arrependam-se, voltemos ao Evangelho e que prevaleça SOLA SCRIPTURA, que regeu nosso reformadores a enfatizarem a Verdade!

========================================

Carta as Assembléias de Deus
Texto de Diogo Sá

Ao lerem este artigo não quero que saiam da denominação porque o problema não está somente nela, não, o problema é generalizado. Mas te peço ajudemos a mudar está história. Aguardo contato.


Apocalipse capítulos 3 e 4
“... Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas.”


Ao ler os capítulos 3 e 4 de Apocalipse vejo o que Cristo tem a dizer às igrejas, ou a Igreja. Ao ver Jesus, repetidas vezes (sete para ser mais exato), lembrando a Igreja de que: “quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz” a ela, eu entendo que, apesar de cada uma daquelas mensagens terem um endereço certo, os cristãos de todas as épocas deveriam estar com os dois olhos e ouvidos bem atentos ao que o Espírito Santo disse aquelas Igrejas. Quero então analisar algumas falhas no caráter das denominações chamadas: As Assembléias de Deus. Reconheço que, devido à multifuncionalidade e facetas desta instituição, é difícil contemplar – em uma só analise – todas as denominações que se utilizam deste nome, porém posso apontar algumas marcas registradas desta Instituição.


Quero fazer esta análise em forma de uma carta. Como não posso ser pretensioso ao ponto de usar o bom nome de Jesus Cristo em vão, vou escrever uma carta de minha autoria apenas, mas usando como parâmetro a Santa Palavra de Deus. Como eu sei que à medida que eu usar para julgar será utilizada para me julgar, uso a Palavra de Deus, pois sempre sou por ela julgado.

Aos Anjos da Igreja que se reúne na Assembléia de Deus escrevo: Isto diz o que é falho, o que é carente da misericórdia, o que é limitado e, portanto, não pode caminhar entre os castiçais, no entanto tenho observado muitas atitudes erradas em ti, e diante da ordem de Cristo a todos os crentes de pregarem o verdadeiro evangelho e também devido à exortação de Judas 1.3 de batalhar pela Fé, não me atrevo a ficar calado, sendo assim venho até ti e contra ti com duras novas:

Eu conheço tuas obras; que tens nome de que vives, e estás morto. Tenho contra ti que toleras o surgimento de falsos mestres em seu seio, Tu toleras Silas Malafaia, que prega um evangelho fajuto e tosco, que tem a petulância de se auto-proclamar “voz profética de Deus”, que se alia a outros falsos Profetas tal qual Morris Cerullo, Matt Murdock e outros, e que Tem a coragem de vender a Palavra de Deus por 900 reais e que, em uma atitude de grande amor ao próximo, adquiriu um jatinho por 12 milhões de dólares, toleras também o Jabes de Alencar (que fica dançando que nem uma gazela junto com Renê Terra Nova no salão da Igreja), toleras Marco Feliciano, que mesmo não estando mais nas Assembléias de Deus e não conseguindo entrar na CGADB continua pregando nos eventos desta Instituição inclusive na “Meca Pentecostal” em Camburiú, toleras Marcos Pereira da Silva, toleras Samuel Câmara, Toleras José Wellington Bezerra da Costa e todo os tipo de pregadores bizarros e mentirosos em seu púlpito, que dizem que viram algo da parte de Deus, quando não viram nada, que dizem: “Deus me disse”, quando Senhor está em silencio.

Tenho ainda contra ti que não estimulas aos seus membros que conheçam a Bíblia, assim sendo, engrossam suas fileiras de crentes mal nutridos que não conseguem distinguir a mão direita da Esquerda. O que fazes, e muito bem, é consagrar obreiros que nunca leram ou lerão a Bíblia toda sequer uma vez na vida. Assim sendo os membros de sua instituição comem todo e qualquer capim que lhes dão. Tenho ainda contra ti que, não atinando para os conselhos bíblicos em Atos 17.11, não estimulas o senso crítico de suas ovelhas, isso em grande parte pela inadequação da maioria de seus “obreiros”, que não conhecem suficientemente bem as Escrituras. Então todo o senso crítico, quando surge, tu logo reprimes com acusações de rebeldia e com a “liberação” de grandes maldições sobre a vida do crítico. Quando há algum estudo Bíblico entre vós é somente para divagar entre algumas bobagens tais como: “Batalhas Espirituais” e “Dízimo” quando muito, e raras vezes sobram, para os jovens, um estudo superficial sobre a sexualidade, dizendo que é pecado e pronto.

Tenho contra ti que não amas a Jesus, isso porque o amor vem com o conhecimento, e sem conhecimento não há amor. Como a maioria de seus Membros não sabem nada sobre Jesus, se bem que conhecem o nome dos atacantes de seu time favorito de futebol, e o nome do artista que faz a novela e até o nome dos filhos de sua cantora gospel favorita, mas não sabem nada sobre Jesus. E o que eu digo é verdade, e você sabe disso. Uma vez que se interessas tão pouco por Jesus, como pode dizer, em toda a força da afirmação, que realmente O ama. Pense se o amas verdadeiramente: Quanto tempo gastas de oração? E quanto tempo gastas com a leitura de Sua Palavra em casa quando ninguém além dele está olhando? Se não gastas tempo com ele, como ousas dizer que o ama? Tenho contra ti que não amas a Jesus nem a correção de sua Palavra e ainda estimulas suas ovelhas a não o amarem também. Pois não há nenhum incentivo sério para que isso ocorra dentro de seus limites. Seus seminários teológicos apresentam uma teologia liberal barata (um lixo para ser exato). Sua Escola Bíblia dominical é uma perda de Tempo (converse com os alunos e veja o que eles aprenderam em todos esses anos).

Tenho contra ti ó Assembléias de Deus que permitem o surgimento de uma casta sacerdotal impura dentro do seu meio, que não demonstra nenhum amor pelo próximo antes o oprime ao seu bel prazer querendo se aproveitar das ovelhas lhes retirando a Lã, o couro, a Carne, o miúdos e ainda queimando os ossos, as unhas e o chifre para fazer farinha. Fazem isso através de subterfúgios chamados ofertas, sacrifícios financeiros, campanhas missionárias, campanhas para comprar terreno, campanhas para construir o templo, campanhas para comprar os microfones das suas sedes (e filiais) e campanhas e mais campanhas, pois a originalidade para extorquir é sem limite. Cabe uma pergunta aí: Os dízimos e ofertas já não são recolhidos para suprir as necessidades da Instituição? Então por que precisamos fazer cantina e bazar para comprar os utensílios da denominação? (Acho que é a moda do governo brasileiro que pegou, cobram de nós várias vezes o mesmo imposto). Esta Liderança Eclesiástica que surgiu no teu seio despreza ao nosso Senhor com atitudes, e ainda dizem: No que desprezamos ao Senhor? Eu respondo: Desprezaram ao Senhor ao confundir ascensão social com ter algum título Eclesiástico ou cargo de Liderança. Fazendo isso, esses líderes se acham no poder e no direito de requerer algum respeito a mais de seus membros e a se considerarem o supra-sumo vindo dos céus. Esta percepção distorcida tem levado as pessoas a passarem por cima de tudo e de todos, em uma disputa violenta (com precedentes somente no Catolicismo Romano), para se ter um cargozinho. Pois a intenção não é glorificar a Deus, mas sim usurpar para si a Honra e a Glória que a Ele é devida. Tenho contra ti que mantéis essa casta que trata seus conservos como se fossem pessoas inferiores, sobretudo porque se consideram superiores aos demais irmãos. Tenho contra essa liderança – que tu toleras – que ela se sente no direito de dizer que tipo de roupa o membro deve ou não deve usar (algo sem precedentes neo-testamentários), se o crente pode ou não pode namorar, se ele pode ou não pode ir ao shopping, se ele pode ou não pode comemorar o Natal (com relação ao Natal existe não pequena controvérsia, mas pra mim não existe nenhuma o dia do Solstício do Invictos Sol foi abandonado e em seu lugar Jesus assumiu a data e o coração das pessoas), vossa liderança oh Assembléia de Deus ultrapassou todos os limites permitidos por Jesus em sua palavra e hoje mais se assemelha com o Farisaísmo do que com o Cristianismo. Estes “sacerdotes” prometem o céu para quem se curva a eles, e o inferno para quem os desprezam numa atitude digna de um Papa.

Tenho contra ti que permitiste que artistas surgissem em seu meio, criando um estrelismo generalizado onde os pregadores, desde a mais tenra idade, já pensam em serem famosos e no futuro quem sabe aparecer na televisão, da mesma forma os cantores querem a fama, o Sonho de consumo destes é gravar um “CD”, quando estes cantores e pregadores se levantam para cantar ou pregar já fazem o “politicamente correto” para que as pessoas vejam como seu timbre de voz é perfeito, como tem classe, como arrebata os corações dos irmãos. Creio pela palavra de Deus, que Jesus não suporta mais isso, é execrável a mim quanto mais a Ele que é o verdadeiro ofendido. Mas tu de bom grado toleras tudo isso, pois se beneficia disso, já que suas reuniões (ou cultos como vocês chamam), se tornaram mero entretenimento. Estes “artistas” que permeiam seus limites forjam falso fogo para poderem se manter, cantando e pregando verdadeiras heresias para agradar a turba ingênua. Heresias que colocam o irmão rival na platéia humilhado e você exaltado no palco (local de honra onde Cristo deveria estar), e ainda dizem que isso tem sabor de Mel. Pare não suporto mais isso.

Tenho ainda contra ti que toleras o culto aos anjos mesmo que negue essa prática, ela é real dentro de seus templos, já que seus pastores e pregadores evocam, em seus “cultos”, legiões e mais legiões da hoste celestial e quando alguém confirma que viu ou sentiu algum anjo, vocês entram em êxtase. Ainda muitos de vocês exigem a presença do Arcanjo Miguel ao seu lado, desdenhando a pessoa bendita de Jesus e do Espírito Santo, já que dizer que Jesus está na reunião não causa tanto estardalhaço do que afirmar que tem um anjo ali. Tenho contra ti que não só permite esse procedimento, como seus pregadores o estimulam, Já que são eles os que, mais vêem e pedem o auxílio dos seres Angelicais.

Tenho ainda contra ti que forjas fogo estranho em seus cultos, já que a Palavra não é o centro de suas pregações. Precisam desse fogo estranho porque seus pregadores não tem mensagem bíblica para oferecer uma vez que eles não conhecem verdadeiramente a Palavra de Deus. Tens, então, permitido todo o tipo de antropocentrismo, hedonismo e irracionalidades dentro de seus limites. Seu solo se tornou terreno fértil para todo o tipo de esquisitices, tal como intenso falso profetismo, intenso falso curandeirismo, intensa falsa visagem e intenso falso conversionismo. Pois seus profetizadores dizem que Deus falou, quando Deus nada disse; dizem que Jesus vai curar naquela noite, quando ninguém sai curado; dizem que viram algo da parte de Deus, quando Deus não lhes mostrou nada e tudo isso arranca gritos eufóricos da multidão, e pessoas vem para frente para se “converter”, mas a Palavra não foi pregada e então aquelas decisões duram pouco e não há conversão genuína, estes “convencidos” quando não saem da denominação continuam dentro dela, mas nunca chegam ao conhecimento da verdade pois milagres não produzem Fé (vimos isso durante a travessia de Israel pelo deserto), mas a Palavra de Deus produz no homem o desejo de ouvi-la, e o ouvir a Palavra produz Fé. Vos falais tanto em avivamento mas não vemos frutos de avivamento em ti, o que há em vos é muito barulho, e barulho é barulho! Não é avivamento (um amigo me disse certa vez e com muita propriedade: “lata vazia faz mais barulho e facilmente é levada por qualquer vento”). Avivamento muda as estruturas da pessoa, o que vejo em ti, no entanto, é uma mensagem que mais tem contribuído para manter o velho homem (com suas mazelas) vivo dentro do crente. Suas mensagens prometem riquezas e vida fácil nesta terra algo que Cristo nunca prometeu, todos os apóstolos entraram na glória passando por muitas privações.

Tenho contra ti que se corrompeste com a política e apóias candidatos corruptos para se beneficiar. Tenho contra ti que volta e meia, estas envolvida em escândalos de sonegação de impostos e todo o tipo de falta de ética. Tenho contra ti que burlas as leis construindo seus prédios em áreas proibidas, pois se acha acima da lei. E ainda defendem os que assim precedem.

Tenho contra ti que mercantilizaste o Povo de Cristo, pois considera o povo como seu patrimônio pessoal. Vendendo por milhões os prédios, os bancos, a aparelhagem e os membros como se fossem seu. Como se fosse você que tivesse morrido por eles na Cruz. Perdeste o foco, e pensas somente em enriquecer usando o bom nome do Senhor.

Tenho contra ti que mercantilizaste a Fé vendendo as bênçãos por dinheiro, algo muito parecido com a venda de indulgencias. Através de sua casa publicadora tu vendes todo o tipo de lixo para suas ovelhas, pensando somente no lucro (é o caso recente da Publicação da Bíblia de Estudo Dake, posso citar ainda a Teologia Sistemática de Charles Finey um pregador Pelagiano).

Tenho contra ti que tratas levianamente como o pecado. O que é pecado voz dizeis que não é, e o que não é pecado, vós dizeis que é. Vós tratais de forma ríspida com os pecados de ordem sexual (e fazem bem assim) colocando em disciplina o transgressor, mas não tomam nenhuma atitude com aqueles que tem seus nomes sujos por comprarem e não pagarem. Nem por estarem envolvidos em fofoca, nem por difamarem seus irmãos e nem por usarem levianamente o Bom nome de Cristo.

Tenho contra ti que dizes: estou abastado e de nada tenho falta, e não vês que és um pobre, sego e nu. Estas sego pelo poder que adquiriste. Tenho contra ti que fazes campanhas e mais campanhas para arrancar dinheiro dos incautos para atender a sua vaidade, mas não move uma pena para desembolsar ajuda aos necessitados. Vossos líderes constroem enormes catedrais com local para pouso de helicópteros, mas não tem o amor suficiente para ajudar o Haiti. Cadê o amor? Cadê o amor ao próximo? Seu deus é o ventre, você só olha para seu umbigo. Hipócritas malditos isso não passará despercebido pelo Senhor o lugar de vocês é lago de fogo onde há pranto e ranger de dentes.

Suas convenções (estadual e geral) se tornaram um covil de vendilhões que se reúnem para tratar de assuntos triviais, e para se gabarem do tamanho do seu ministério, de quantos membros possuem, e quanto dinheiro arrecadam. Não fazem nada pelo Reino de Deus antes procuram mais e mais poder entre os homens, buscando edificar seus reinos particulares.

Teria ainda muito mais acusações para fazer, mas quero te dizer, arrependa-te. Olha onde caíste retorna para Cristo. Volte às primeiras obras, compre de Jesus ouro refinado no fogo, para tapar suas vergonhas. Vocês fazem muitas obras, mas não amam a Jesus, abandonaram o primeiro amor e já não restou amor algum. Volte-se pra Deus, volte-se para sua palavra. Ponha sua boca no pó, talvez assim haja esperança.

Diante disso só pesso:

Jesus tenha misericórdia de nós. Muda as nossas vidas. Precisamos de uma mudança de atitudes urgente.

Jesus eu te adoro! A ti oh Deus seja a Glória e a Honra e o Domínio pelos séculos dos séculos.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Avivamento... sonho de muitos, realidade de poucos!

Fala galera radical, tudo beleza?!

Como continuamos na correria em virtude do web site Revolução de Identidade, vou deixar apenas mais uma breve reflexão!
Que tal: AVIVAMENTO?!

Se temos um tema tão abordado em nossos dias, em nossas igrejas atualmente, este tema é avivamento!
Cara, como temos livros com o tema, cds, músicas e bandas com o tema, como temos "pregadores" (entre aspas, porque vocês sabem como é neh, nem todo aquele que diz pregar, prega de verdade!) enfatizando o tema, como temos nomes de ministérios com o sobre-nome avivamento, e por ai vai!
Mas o que menos temos hoje em dia, é de fato, o Avivamento!

Estou em um trabalho intenso de pesquisa e resumoda biografia dos principais nomes históricos do Cristianismo Protestante, e adivinha o que mais vemos em suas biografias?
Vemos avivamento, e por incrivel que pareça... o avivamento vivido e participado por estes, é completamente diferente do avivamento pregado hoje em nossos dias.

O que temos hoje são meros movimentos, sem fundamentos em principios que regeram o avivamento no passado, principios estes de consagração, santidade, arrependimento, conversão, e em fim, Avivamento real!

O que temos hoje são grupinhos que se levantam em locais limitados e pregam um avivamento estranho, que não passa de um momento passageiro, e se tem algo que é caracteristico de um autêntico avivamento é o estrago que este faz. É como um grande furacão, que onde passa, leva todo pecado, todo erro, toda imoralidade, deixando todos prostrados ao chão, cheios de temor e tremor por um Deus Santo!

Recentemente, estive dando um estudo sobre Avivamento, estudo este, que pra variar, assim como o estudo que ministrei sobre masturbação e pornografia, tornou-se "polêmico" na igreja cujo ministrei. Tão polêmico que acabeiministrando o estudo em outros lugares que solicitaram. Você se pergunta o porquê foi polêmico?! Simples: porque o que se prega e se ensina de avivamento hoje em dia, esta muito diferente do real avivamento. E isto se dá porque a igreja e o sistema que impera atualmente é completamente distinto dos objetivos reais que guiaram a igreja protestante no passado!

Como iniciei este texto afirmando ser uma breve reflexão, gostaria então, de te desafiar a clamar por avivamento nasua vida. Mas este avivamento têm um preço: jejum, busca continua, oração, consagração e santidade!
Aqui vai meu recado para os pregadores que enfatizam avivamento em seus ministérios vazios, e cheios apenas de egos e desejos de serem conhecidos: convertam-se!

Avivamento não é este mentiraque vocês ensinam. Avivamento não é língua estranha, ou pessoas caindo no chão.
Avivamento não é seus cds e dvds sendo vendidos como água.
Avivamento não é sua agendinha cheia de igrejas locais para pregar.
Avivamento não é um povo "pulando" na emoção e na carne achando que é o Espirito Santo, que é Santo não opera no meio da sujeira, do pecado e da sua soberba!

AVIVAMENTO é arrependimento, é mudança, é uma geração compreendendo que o caráter do nosso Deus é um caráter Santo, e nós só mercemos o inferno se não formos avivados!

Curta este vídeo abaixo, e compreenda que Avivamento não é o que vemos ou vimos nos dias atuais, mas pode ser uma esperança da história passada se repetir, e quem sabe, por este fato se iniciar uma autêntica Reforma no meio doente e caótico protestante atual!


Um forte abraço.
Fábio B.Assis

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Prepare-se para encontrar-se com Teu Deus


Quantos querem ver Deus? Quantos querem encontrar-se com Deus? Quantos de nós (realmente) estamos preparados para encontrarmos com o Senhor?
Falamos, cantamos e sonhamos com um encontro real com Deus, mas este encontro não será algo tão agradável ou "romântico" como a maioria prega e imagina!



“...prepare-se para encontrar-se com o Seu Deus, ó Israel. Aquele que forma os montes, cria o vento e revela os seus pensamentos ao homem, a alvorada que transforma em trevas, e pisa as montanhas da terra; Senhor, Deus dos exércitos é o seu nome.”

Amós 4:12-13



Este foi o tema da mensagem ministrada para jovens na cidade de Mogiguaçu - SP. A gravação do áudio não ficou na "melhor" qualidade, mas o conteúdo da mensgam realmente impactou a vida de diversos jovens neste dia, por isso, vale a pena ouvir!
Meu desejo é que Deus desperte no seu coração um anseio incontrolável para se preparar para se encontrar com Ele...comece agora, ouvindo esta mensagem!





Prepare-se para se encontrar com Deus - Fábio B.Assis by http://soundcloud.com/fbio


Um forte abraço!
Fábio B.Assis

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Igreja em Chamas ... a verdade que muitos figem não ver!

Novo post do Geração Benjamim, que realmente rasga com uma verdade que não queremos assumir: a igreja esta cada vez mais "desviada" e a maioria que se diz igreja não faz nada!!!

“Eu procurei a igreja e achei ela no mundo, e eu procurei o mundo e achei ele na igreja”
(Horatius Bonar)

Clique na imagem acima e leia na íntegra tais verdades nesta nova "E-pístola" do site geração Benjamim!

Que Deus possa tocar-lhes, como têm me tocado!

Um forte abraço!
Fábio B.Assis

Sociable

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...